Fóruns Paroquias.org
paroquias.org

  A participação no Fórum Paroquias.org está condicionada à aceitação das Regras de Funcionamento.
Inteligência Espiritual
Fóruns Paroquias.org : Geral

 

Ir para tópico de discussão: AnteriorPróximo
Ir para: Lista de fórunsLista de mensagensNovo tópicoPesquisarEntrar
O papa e o soco
Escrito por: Cassima (IP registado)
Data: 19 de January de 2015 13:50

Citação:
Papa Francisco - news.va
"Porque é verdade que não se pode reagir violentamente, mas se o Dr. Gasbarri, grande amigo, me diz um palavrão contra a minha mãe, apanha um soco. É normal! É normal. "


Quais são os limites da informalidade do Papa?

Será normal o papa considerar normal que se dê um soco para reagir a um insulto (sendo a afirmação dita numa leveza ilustrada inclusive com um soco simulado)?

Mesmo que nós o consideremos (ao murro) normal?

Não terá a afirmação dessa normalidade ofuscado a sua afirmação anterior na mesma conversa, muito mais importante?

Citação:
Papa Francisco
"Mas não se pode matar em nome de Deus. Isto é uma aberração. Matar em nome de Deus é uma aberração."



Cassima


P.S. Descobri que já não é esta a primeira referência do papa ao soco:

Citação:
Papa Francisco - 7/11/2014
“Se tens alguma coisa contra o irmão, di-lo cara a cara. Algumas vezes vão acabar ao soco, não há problema: é melhor isso do que o terrorismo da bisbilhotice”, insistiu.

Re: O papa e o soco
Escrito por: Luis Gonzaga (IP registado)
Data: 22 de January de 2015 17:22

Olá Cassima,

Estas citações do Papa Francisco foram feitas em conversas informais com os jornalistas, pelo que ele fala na primeira pessoa e dá a sua opinião pessoal. Creio que o compreendo. Dou-te um exemplo: eu sou contra a pena de morte e acho que esta não deveria existir como punição para nenhum castigo. Todavia, como pai, se apanhasse alguém a fazer mal a alguma das minhas filhas, não teria qualquer problema em enviá-lo ao Criador. A primeira é a atitude lógica de um cidadão, a segunda é a atitude ilógica, emocional, temperamental de um pai.

O que dizes?

Obrigado, Luís

Re: O papa e o soco
Escrito por: Cassima (IP registado)
Data: 23 de January de 2015 13:49

Olá Luís

A grande diferença são o alcance e o impacto que têm as tuas opiniões e as do papa.

O que tu dizes poderá influenciar um grupo restrito de pessoas, maior ou menor, mas limitado à tua área pessoal e/ou profissional.

O que o papa diz alcança o mundo inteiro.

E quando ele fala ele não fala como o cidadão Jorge Bergoglio (não poderá fazê-lo porque não está nessa capacidade nem nunca mais ninguém o verá simplesmente assim).

Fala como o Papa, líder espiritual de muita gente, figura simpática para outros crentes e mesmo não crentes, e com influência no mundo.

Quantas vezes o jeito informal das suas intervenções tem necessitado de esclarecimentos posteriores do Vaticano?

E mesmo, quantas vezes as suas intervenções têm levado às mais variadas e contraditórias conclusões, como é exemplo recente o caso dos "coelhos"?

Sei que abriste o tópico, mas vou falar mesmo aqui.

Li os elogios dele ao Papa Paulo VI e à sua coragem ao publicar a "Humanae Vitae".

Li a explicação dele no avião e a referência à paternidade responsável e às "muitas soluções lícitas".

A partir daqui tenho visto pessoas na TV e jornais a defender que o papa está a propor uma mudança!...

Tu mesmo, no tópico dos "Coelhos católicos" achas que ele abriu a porta a uma mudança.

Eu não vejo como é que, a partir das palavras dele, se pode concluir isso.

A misericórdia, a compreensão que ele defende para os casos não significa (e é esse o meu entendimento) que ele proponha qualquer alteração significativa.

Cassima

Re: O papa e o soco
Escrito por: fratal (IP registado)
Data: 10 de February de 2015 09:39

Não devemos desistir de uma cultura de confiança por oposição à cultura da bisbilhotice.
Melhor que dizer a alguém: és um irresponsável! será insistir:
Não te esqueças do que tens para fazer!

Re: O papa e o soco
Escrito por: Cassima (IP registado)
Data: 10 de February de 2015 14:13

Qual "cultura de confiança"?

"cultura da bisbilhotice" de quem?

E quem chama "irresponsável" a quem?

Re: O papa e o soco
Escrito por: JMA (IP registado)
Data: 10 de February de 2015 19:58

Olá Cassima,

A informalidade do Papa tem coisas boas e coisas más, como a maior parte das coisas na vida.

Mas se insultarem a minha mãe à minha frente, provavelmente apanham mesmo. Não é que vá perseguir pessoas por causa disso, mas a reacção a quente pode muito bem ser essa. Não me causa nenhum problema a afirmação do Papa em relação ao soco, mas entendo que possa ser mal interpretada.

Vamos ver o que sucedeu:
Estavam a falar sobre os atentados terroristas em França.
E o Papa a determinado momento diz: "É verdade que não se pode agir violentamente"
E a seguir: "Mas se o meu amigo Gasperi (?) disser mal da minha mãe pode esperar um soco"

Grave parece-me ser a situação de ele ter tido essa conversa no seguimento de perguntas a propósito de um atentado terrorista. Porque as mentes mais maldosas irão ver nisto uma "desculpa" para actos violentos. E nunca existe desculpa para a violência contra inocentes.

João (JMA)

Re: O papa e o soco
Escrito por: fratal (IP registado)
Data: 11 de February de 2015 11:29

Uma cultura de confiança baseia-se na permanente consideração de valores mais altos, os tais que na dúdiva nos ajudam a tomar decisões.
É possível que o soco desvie as atenções relativamente ao que é mais importante, mas também pode significar aquilo de que, em caso algum, alguém prescinde.
O primado da paciência obriga-nos a insistir a propósito e a despropósito nas questões que consideramos pertinentes. Não me parece boa política passar de argumentos objetivos a considerações depreciativas de uma pessoa, seja em que caso for... mas não somos perfeitos, é claro.
... Não esquecer que quem dá também recebe (...socos)

-F^R



Editado 2 vezes. Última edição em 11/02/2015 11:30 por fratal.

Re: O papa e o soco
Escrito por: Cassima (IP registado)
Data: 11 de February de 2015 14:02

Olá João

A questão é mesmo essa. A forma como o disseste espelha-a claramente. Foi por isso que eu disse que para nós o soco podia ser normal e não para o papa.

O contexto foi mesmo infeliz. E sendo ele o papa, as repercussões são enormes.

Sem esquecer que os jornais vão fazendo corte e costura das afirmações que nem sempre surgem na sequência original e dão uma aparência diferente ao que é dito.

Um estilo descontraído é sempre bem-vindo. Informalidade nem sempre. Porque em certos casos há que evitar mesmo a sugestão de mal-entendidos.

Cassima

Re: O papa e o soco
Escrito por: Cassima (IP registado)
Data: 11 de February de 2015 14:17

Olha fratal

Nestes tempos que tens levado a participar no fórum tenho tido dificuldade em perceber o que escreves. Ou és muito genérico ou subjectivo ou cheio de floreados.

Assim quero dar o desconto e tentar achar que não me andas a chamar bisbilhoteira, nem que ando a dar socos a alguém, e que muito menos afirmes que fiz considerações depreciativas sobre o papa!

Talvez devas esclarecer duma vez e de forma clara e directa!

Cassima

Re: O papa e o soco
Escrito por: fratal (IP registado)
Data: 11 de February de 2015 18:24

Reflexões que têm a ver com esforço pessoal de melhorar o meu desempenho, nomeadamente em situações conflituosas: trânsito, profissão, grupos etc...

-F^R

Re: O papa e o soco
Escrito por: fratal (IP registado)
Data: 12 de February de 2015 07:59

Ainda estou na fase de comentar aquilo que o Papa disse e no que isso tem a ver comigo, com a minha cultura e com a nossa cultura...
Nunca cortei relações com quem quer que fosse por me ter dado um soco na orelha, uma biqueirada nas almofadas, uma canelada, pedrada ou por qualquer situação de luta corpo a corpo... tudo isto fazia parte de formas acaloradas de comunicação, bem mais edificantes que discretos empurrões...
Talvez o Papa anseie por ver os cardeais à murraça nos corredores do Vaticano...

-F^R

Re: O papa e o soco
Escrito por: JMA (IP registado)
Data: 17 de February de 2015 18:19

Não fratal, não se trata de vontade do Papa a ver os cardeais ao soco...

Foi uma maneira um pouco desastrada (não vou repetir o que disse acima) de fazer ver que podem ocorrer reacções acaloradas a palavras ou acções consideradas ofensivas.

Repito que à mesma frase citada pela Cassima, antecede a frase "É verdade que não se pode agir violentamente".

Pelo que a tua conclusão não está de maneira alguma correcta.

João (JMA)

Re: O papa e o soco
Escrito por: fratal (IP registado)
Data: 17 de December de 2015 22:16

JMA,
A escutar o Messias de Haendel, lá ganhei coragem para ler a tua resposta:
Afinal trata-se apenas de um corretivo verbal, nada de socos.
Ainda bem!

-F^R

Re: O papa e o soco
Escrito por: Geode (IP registado)
Data: 08 de January de 2016 15:45

E há quem chame pancadaria aos ritmos de bateria com que alguns fazem acompanhar os cânticos litúrgicos ou outros. A última vez que tentei convencer alguém a usar a bateria que está ao lado do órgão, essa pessoa pôs de lado as baquetas e fê-lo com as mãos, mas não se convenceu de que valia a pena.
Lá terei de continuar a ouvir os cânticos sem a almejada pancadaria.

Geode

Re: O papa e o soco
Escrito por: ventus (IP registado)
Data: 11 de January de 2016 08:42

O soco está para uma carícia como um ciclone está para a brisa.

V~



Editado 1 vezes. Última edição em 11/01/2016 08:53 por ventus.

Re: O papa e o soco
Escrito por: Cassima (IP registado)
Data: 18 de May de 2016 14:53

O papa deu uma entrevista ao jornal La Croix.

Ao falar sobre os migrantes à seguinte pergunta o papa Francisco dá a seguinte resposta:

Citação:
La Croix: La crainte d’accueillir des migrants se nourrit en partie d’une crainte de l’islam. Selon vous, la peur que suscite cette religion en Europe est-elle justifiée?

Pape François: Je ne crois pas qu’il y ait aujourd’hui une peur de l’islam, en tant que tel, mais de Daech et de sa guerre de conquête, tirée en partie de l’islam. L’idée de conquête est inhérente à l’âme de l’islam, il est vrai. Mais on pourrait interpréter, avec la même idée de conquête, la fin de l’Évangile de Matthieu, où Jésus envoie ses disciples dans toutes les nations.

Nota: Negrito meu...


Já agora, Mateus 28,16-20 - Missão universal:

Citação:
16Os onze discípulos partiram para a Galileia, para o monte que Jesus lhes tinha indicado. 17*Quando o viram, adoraram-no; alguns, no entanto, ainda duvidavam. 18*Aproximando-se deles, Jesus disse-lhes:

«Foi-me dado todo o poder no Céu e na Terra. 19*Ide, pois, fazei discípulos de todos os povos, baptizando-os em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, 20*ensinando-os a cumprir tudo quanto vos tenho mandado. E sabei que Eu estarei sempre convosco até ao fim dos tempos.»


Cassima

Re: O papa e o soco
Escrito por: Cassima (IP registado)
Data: 20 de May de 2016 13:31

O mesmo parágrafo, segundo a notícia da Agência Ecclesia:

Citação:
A entrevista aborda depois o tema da coexistência entre cristãos e muçulmanos, com o Papa a rejeitar o “medo do Islão”, enquanto tal, considerando que os receios se devem à ação do autoproclamado Estado Islâmico e à sua “guerra de conquista”.

Re: O papa e o soco
Escrito por: Geode (IP registado)
Data: 20 de June de 2016 09:36

Mesmo de temer é a frustração e não esqueçamos que é mais fácil gerar oportunidades para os outros do que para nós mesmos

Geode



Desculpe, apenas utilizadores registados podem escrever mensagens neste fórum.
Por favor, introduza a sua identificação no Fórum aqui.
Se ainda não se registou, visite a página de Registo.

Nota: As participações do Fórum de Discussão são da exclusiva responsabilidade dos seus autores, pelo que o Paroquias.org não se responsabiliza pelo seu conteúdo, nem por este estar ou não de acordo com a Doutrina e Tradição da Igreja Católica.