Capela Sto Isidoro
Página Principal Paroquias.org
Inteligência Espiritual

  Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017 - QUINTA-FEIRA da semana II    Orações Terço Via-Sacra Via Lucis

LEITURA I   Is 25, 6-10a

«O Senhor preparará um banquete e enxugará as lágrimas de todas as faces»

Leitura do Livro de Isaías

Sobre este monte,
o Senhor do Universo há-de preparar para todos os povos
um banquete de manjares suculentos,
um banquete de vinhos deliciosos:
comida de boa gordura, vinhos puríssimos.
Sobre este monte,
há-de tirar o véu que cobria todos os povos,
o pano que envolvia todas as nações;
destruirá a morte para sempre.
O Senhor Deus enxugará as lágrimas de todas as faces
e fará desaparecer da terra inteira
o opróbrio que pesa sobre o seu povo.
Porque o Senhor falou.
Dir-se-á naquele dia:
«Eis o nosso Deus, de quem esperávamos a salvação;
é o Senhor, em quem pusemos a nossa confiança.
Alegremo-nos e rejubilemos, porque nos salvou.
A mão do Senhor pousará sobre este monte».

Palavra do Senhor.




SALMO RESPONSORIAL   Salmo 22 (23), 1-3a.3b-4.5.6 (R. 6cd )

Refrão: Habitarei para sempre na casa do Senhor.

O Senhor é meu pastor: nada me falta.
Leva-me a descansar em verdes prados,
conduz-me às águas refrescantes
e reconforta a minha alma.

Ele me guia por sendas direitas por amor do seu nome.
Ainda que tenha de andar por vales tenebrosos,
não temerei nenhum mal, porque Vós estais comigo:
o vosso cajado e o vosso báculo
me enchem de confiança.

Para mim preparais a mesa
à vista dos meus adversários;
com óleo me perfumais a cabeça
e o meu cálice transborda.

A bondade e a graça hão-de acompanhar-me
todos os dias da minha vida,
e habitarei na casa do Senhor
para todo o sempre.




EVANGELHO   Mt 15, 29-37

Jesus cura muitos enfermos e multiplica os pães

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus

Naquele tempo,
foi Jesus para junto do mar da Galileia
e, subindo ao monte, sentou-Se.
Veio ter com Ele uma grande multidão,
trazendo coxos, aleijados, cegos, mudos e muitos outros,
que lançavam a seus pés.
Ele curou-os, de modo que a multidão ficou admirada,
ao ver os mudos a falar,
os aleijados a ficar sãos,
os coxos a andar e os cegos a ver;
e todos davam glória ao Deus de Israel.
Então Jesus, chamando a Si os discípulos, disse-lhes:
«Tenho pena desta multidão,
porque há três dias que estão comigo
e não têm que comer.
Mas não quero despedi-los em jejum,
pois receio que desfaleçam no caminho».
Disseram-Lhe os discípulos:
«Onde iremos buscar, num deserto,
pães suficientes para saciar tão grande multidão?»
Jesus perguntou-lhes: «Quantos pães tendes?»
Eles responderam-Lhe:
«Sete, e alguns peixes pequenos».
Jesus ordenou então às pessoas que se sentassem no chão.
Depois tomou os sete pães e os peixes
e, dando graças, partiu-os e foi-os entregando aos discípulos
e os discípulos distribuíram-nos pela multidão.
Todos comeram até ficarem saciados.
E com os pedaços que sobraram encheram sete cestos.

Palavra da salvação.

Fonte: Secretariado Diocesano da Pastoral Litúrgica de Viseu

Completas

V/ Deus vinde em nosso auxílio.
R/ Senhor socorrei-nos e salvai-nos.
V/ Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo:
R/ Como era no princípio, agora e sempre. Amen.

Façamos uma paragem e passemos em revista o nosso dia. Façamos um exame de consciência, sobre como temos seguido as instruções de Jesus na nossa missão de testemunhar Cristo.


Hino

Senhor meu Deus, humildemente peço
O teu amor de Pai e o teu perdão,
Embora eu saiba que o não mereço.

Defende e acolhe a humilde devoção,
Reforma sempre na verdade santa
O antigo pensamento errado e vão.

Louvado seja Deus, minha esperança:
Ao cair sobre a terra a noite escura,
Renova em mim a paz e a confiança.

Louvor se dê ao Pai omnipotente,
Ao Filho, imagem sua e formosura,
E ao Espírito de ambos procedente.


Salmodia

Antífona
Dia e noite clamo na vossa presença, Senhor.

Salmo 87
Senhor Deus, meu Salvador, *
dia e noite clamo na vossa presença.
Chegue até Vós a minha oração, *
inclinai o ouvido ao meu clamor.

A minha alma está saturada de sofrimento, *
a minha vida chegou às portas da morte.
Sou contado entre os que descem à sepultura, *
sou um homem já sem forças.

Estou abandonado entre os mortos, *
como os caídos que jazem no sepulcro,
de quem já não Vos lembrais *
e que foram sacudidos da vossa mão.

Lançastes-me na cova mais profunda, *
nas trevas do abismo.
Pesa sobre mim a vossa ira, *
todas as vossas ondas caíram sobre mim.

Afastastes de mim os meus conhecidos, *
fizestes-me para eles objecto de horror.
Estou preso e não posso libertar-me, *
meus olhos se apagaram de tanto sofrer.

Clamo a Vós, Senhor, todo o dia, *
estendo para Vós as minhas mãos.
Fareis Vós maravilhas pelos mortos? *
Irão levantar-se os defuntos para Vos louvar?

Haverá no sepulcro quem fale da vossa bondade, *
ou da vossa fidelidade no reino dos mortos?
Serão conhecidas nas trevas as vossas maravilhas, *
na terra do esquecimento a vossa justiça?

Eu, porém, clamo por Vós, Senhor, de manhã, *
a minha oração sobe à vossa presença.
Porque então me afastais de Vós, Senhor, *
porque escondeis de mim o vosso rosto?

Infeliz de mim que agonizo desde a infância, *
já não posso mais suportar os vossos castigos.
Sobre mim passou a vossa ira *
e os vossos terrores me aniquilaram;

Como vagas me cercaram o dia inteiro *
e todos juntos caíram sobre mim.
Afastastes meus amigos e companheiros, *
só as trevas me fazem companhia.

Antífona
Dia e noite clamo na vossa presença, Senhor.


Leitura Breve Jer 14, 9

Estais no meio de nós, Senhor, e sobre nós foi invocado o vosso nome. Não nos abandoneis, Senhor nosso Deus.

Responsório Breve
V. Em vossas mãos, Senhor, entrego o meu espírito.
R. Em vossas mãos, Senhor, entrego o meu espírito.
V. Senhor, Deus fiel, meu Salvador.
R. Em vossas mãos, Senhor, entrego o meu espírito.
V. Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
R. Em vossas mãos, Senhor, entrego o meu espírito.


Benedictus

Bendito o Senhor, Deus de Israel *
Que visitou e redimiu o seu povo
E nos deu um Salvador poderoso *
Na casa de David, seu servo,
Conforme prometeu pela boca dos seus santos, *
Os profetas dos tempos antigos,

Para nos libertar dos nossos inimigos *
E das mãos daqueles que nos odeiam
Para mostrar a sua misericórdia a favor dos nossos pais, *
Recordando a sua sagrada aliança
E o juramento que fizera a Abraão, nosso pai, *
Que nos havia de conceder esta graça:

De O servirmos um dia, sem temor, *
Livres das mãos dos nossos inimigos,
Em santidade e justiça na sua presença, *
Todos os dias da nossa vida.

E tu, Menino, serás chamado Profeta do Altíssimo, *
Porque irás à sua frente a preparar os seus caminhos,
Para dar a conhecer ao seu povo a salvação *
Pela remissão dos seus pecados,

Graças ao coração misericordioso do nosso Deus, *
Que das alturas nos visita como Sol Nascente,
Para iluminar os que jazem nas trevas e nas sombras da morte *
E dirigir os nossos passos no caminho da paz.

Glória ao Pai e ao Filho *
E ao Espirito Santo,
Como era no princípio, *
Agora e sempre. Amen.


Oração

Concedei-nos, Deus todo-poderoso, que, permanecendo no descanso da noite unidos a Cristo Jesus, que na morte repousou dos trabalhos da sua paixão, possamos, ao surgir o novo dia, ressuscitar com Ele para uma vida nova. Ele que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

V. O Senhor omnipotente nos dê uma noite tranquila e no fim da vida uma santa morte.
R. Amen.


Magnificat

A minha alma glorifica o Senhor *
E o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador.

Porque pôs os olhos na humildade da sua Serva: *
De hoje em diante me chamarão bem aventurada todas as gerações.
O Todo-Poderoso fez em mim maravilhas: *
Santo é o seu nome.

A sua misericórdia se estende de geração em geração *
Sobre aqueles que o temem.
Manifestou o poder do seu braço *
E dispersou os soberbos.

Derrubou os poderosos de seus tronos *
E exaltou os humildes.
Aos famintos encheu de bens *
E aos ricos despediu de mãos vazias.

Acolheu a Israel, seu servo, *
Lembrado da sua misericórdia,
Como tinha prometido a nossos pais, *
A Abraão e à sua descendência para sempre

Glória ao Pai e ao Filho *
E ao Espírito Santo,
Como era no princípio, *
Agora e sempre. Amen.


Esta semana
  Dom, 10 Dezembro
DOMINGO II DO ADVENTO
  Seg, 11 Dezembro
  Ter, 12 Dezembro
  Qua, 13 Dezembro
S. Luzia, virgem e mártir
  Qui, 14 Dezembro
S. João da Cruz, presbítero e doutor da Igreja
  Sex, 15 Dezembro
  Sáb, 16 Dezembro
  Dom, 17 Dezembro
DOMINGO III DO ADVENTO

Clique na data para ler a Liturgia do respectivo dia.



 

   
 


© 1999-2017 Paroquias.org